quarta-feira, 27 de julho de 2011

As parteiras hebréias mentiram ao Faraó?

Pergunta: As parteiras hebréias mentiram ao Faraó? Como, pois, elas foram abençoadas por Deus?

Resposta: O texto que suscita essa pergunta é Êxodo 1:15-22 (tire um tempo e leia o texto em sua Bíblia). Em sua segunda tentativa de aniquilar os hebreus, Faraó chama Sifrá e Puá, parteiras hebréias, e lhes manda que, ao ajudarem no parto, verifiquem se a criança é do sexo masculino ou feminino. Se fosse menina, poderia ser deixada viva; se fosse, porém, menino, deveria ser morto. É dito que as parteiras “temeram a Deus” e não fizeram o que Faraó ordenara. Ao serem interrogadas pelo monarca, as parteiras apresentaram sua desculpa para o crescimento da população masculina entre o povo israelita: disseram que as mulheres hebréias, por serem fortes, conseguiam dar à luz antes mesmo de sua chegada (o que, para alguns, constitui-se numa mentira, embora o texto bíblico não deixe isso claro). Em seguida, o texto conta como estas parteiras foram abençoadas de maneira especial por Deus e o novo plano de Faraó para aniquilar os meninos hebreus.

Muitos têm reputado a resposta das parteiras como mentira e se perguntado como Deus pôde concordar com sua conduta abençoando-as. Gostaria de propor uma solução para este aparente problema com base em minha pesquisa sobre o assunto.

A população hebraica era mui numerosa, sendo esse um dos motivos para a perseguição iniciada por Faraó (Êxodo 1:9). Duas parteiras dariam conta do recado? O texto diz que Faraó chamara as parteiras hebréias das quais uma se chamava Sifrá e outra Puá. Portanto, havia outras parteiras. A política egípcia se organizava de tal maneira que cada setor da sociedade possuía um ou mais superintendentes. Faraó lidava com essas pessoas e não com todos os indivíduos de uma determinada classe. Assim, ao chamar Sifrá e Puá, o Faraó estava chamando as líderes de um grupo maior.

É importante estabelecer esse fato, pois alguns comentaristas sugerem que a desculpa das parteiras seria plausível dado o fato de que eram apenas duas parteiras para todas as mulheres israelitas. Contudo, este não é o caso, conforme o texto deixa claro.

O verso 17 dá a motivação para a atitude das hebréias: elas temeram a Deus. Em outras palavras, sua atitude foi igual à de Pedro e os discípulos quando confrontados pelo Sinédrio para que não falassem sobre Jesus (Atos 5:29). Obedecer a Deus era mais importante, para Sifrá e Puá, do que obedecer ao Faraó.

Além disso, o verso 17 diz que elas não fizeram como o Faraó ordenara. Ou seja, fizeram outra coisa, menos obedecer ao monarca. Minha proposta é que leiamos o restante do texto à luz dessas duas premissas: o temor das parteiras e sua atitude de não conformidade com a ordem de Faraó.

Os versos 18 e 19 mostram Faraó confrontando as parteiras e a resposta que lhe foi dada. Podemos notar que não há indicação no texto de que o relato das parteiras fosse reputado como mentira: era perfeitamente plausível que antes que alguma parteira chegasse, o trabalho de dar a luz já tivesse ocorrido sem sua ajuda.

Minha proposta é que vejamos a resposta de Sifrá e Puá como uma explicação real para seu procedimento. Dado que o texto informa que elas tomaram outra atitude que não aquela esperada pelo rei, é possível que, ao invés da ajudar as parteiras hebréias no trabalho de parto, elas tenham se eximido de fazê-lo ou demorado em atender aos pedidos de ajuda para que as crianças nascessem sem sua supervisão.

É claro, nem todos concordam (ou concordarão) comigo. Se entendermos que as parteiras mentiram, resta ainda o fato de que o texto não diz que elas foram abençoadas porque cometeram um pecado menor (mentir) do que um maior (matar). O verso 21 destaca que elas foram abençoadas porque “temeram a Deus.” A ênfase no texto está na disposição destas mulheres em reverenciar o verdadeiro Deus, não a Faraó. Em outras palavras, poderíamos dizer que Deus as abençoou apesar de terem mentido. Talvez, o maior exemplo disso seja o autor deste texto: tenho recebido muitas bênçãos de Deus, não porque escolhi obedecer em alguns pontos e noutros não, mas porque, apesar das minhas falhas, Ele ainda me ama e quer o melhor pra mim.

Um comentário:

  1. INTERESSANTE MENSAGEM IRMÃO GOSTEI PARABÉNS DEUS JAMAIS IRIA CONCORDAR COM A MENTIRA, ÓTIMO ESTUDO.

    ResponderExcluir